Até 29% dos pacientes oncológicos podem ter depressão.

Written by on 10 de janeiro de 2020

Medo e ansiedade são sentimentos comuns na maioria das pessoas diagnosticadas com câncer. Essa reação emocional acontece devido à expectativa criada com o tratamento e com a preocupação de lidar com o diagnóstico de uma doença socialmente assustadora.

Segundo dados do Observatório de Oncologia, a chance de um paciente oncológico desenvolver a depressão varia de 22% a 29%, devido ao impacto da enfermidade.

De acordo com a psicóloga Gabriela Simmer, ter acesso ao acompanhamento psicológico durante o tratamento oncológico é um recurso que permite enfrentar a doença e seus efeitos colaterais de uma forma mais leve.

Vale sinalizar que a terapia possui papel importante para toda pessoa que apresenta algum tipo de sofrimento psíquico, e não somente aquelas que estão em tratamento para o câncer.

O que é a depressão

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta: a depressão é um transtorno mental caracterizado por tristeza constante e pela perda de interesse em atividades que normalmente são prazerosas, acompanhadas da incapacidade de realizar atividades diárias, durante pelo menos duas semanas.

O transtorno pode afetar qualquer pessoa e é tratável por meio de psicoterapia, medicamentos antidepressivos ou uma combinação dos dois.

Sintomas da doença

Perda de energia;
Mudanças no apetite;
Aumento ou redução do sono;
Ansiedade;
Perda de concentração;
Indecisão;
Inquietude;
Sensação de que não valem nada, culpa ou desesperança;
pensamentos de suicídio ou de causar danos a si mesmas.


90.9 FM

Só sucessos

Current track

Title

Artist